Madri indicia argentinos detidos com droga em jato

Três filhos de oficiais da reserva de alta patente da Força Aérea estavam em avião que pousou[br]com 944 kg de cocaína

, O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2011 | 00h00

BARCELONA

A Justiça espanhola decretou na segunda-feira a prisão preventiva de dois filhos do brigadeiro da reserva José Juliá - que comandou a Força Aérea Argentina durante o governo do presidente Carlos Menem - e do filho de José Miret, ex-secretário de Planejamento da Aeronáutica durante a ditadura militar argentina (1976-1982).

No dia 2, eles foram detidos quando tentavam entrar na Espanha com 944,5 quilos de cocaína em um jatinho no aeroporto de Barcelona. De acordo com as investigações, a aeronave Bombardier Challenger 604, alugada pela empresa Medical Jet, partiu da Argentina e passou por Cabo Verde, na África, antes de chegar à Europa.

Avaliado em 30 milhões, o carregamento foi descoberto por cães da guarda civil espanhola. A droga estava escondida na estrutura do jatinho, embalada em invólucros coloridos.

Fúria. Eduardo e Gustavo Juliá, donos da Medical Jet, e Matías Miret foram presos em flagrante. Um quarto detido, que teria embarcado durante a escala africana, foi interrogado e acabou solto - como a aeronave foi abordada na pista do aeroporto, quando ainda estava com os motores ligados, existe a suspeita de que esse homem seria um investigador policial.

Segundo o jornal Clarín, quando a droga foi descoberta, Matías se enfureceu. "Em que você me meteu?", gritou, avançando violentamente contra Gustavo. Os policiais espanhóis tiveram de contê-lo para evitar uma briga.

O advogado dos presos, Santiago Giménez, afirmou que eles não sabiam nada a respeito do carregamento de cocaína. Ele recorreu, na terça-feira, da decisão da Justiça da Espanha de mantê-los na cadeia até a realização do julgamento.

Cartéis mexicanos. A Base Aérea de Morón, de onde partiu o avião, é administrada pela Força Aérea Argentina, que afastou o comodoro Guillermo Juliá - irmão de dois dos presos - para "permitir o trabalho da Justiça". O militar ficará afastado até que o caso seja esclarecido pelas autoridades.

Após a passagem por Morón, o avião voou para a cidade de Mar del Plata - cidade onde a polícia local crê que existam atividades de cartéis de drogas mexicanos. Segundo o Clarín, o ex-presidente Néstor Kirchner, falecido em outubro, usou um avião da Medical Jet durante campanha eleitoral.

Quando era gerente econômico do Instituto Nacional de Serviços Sociais para Aposentados e Pensionistas (Pami), durante o governo do presidente Eduardo Duhalde, Gustavo Juliá contratou sua própria empresa para prestar serviços para organismos estatais.

PARA LEMBRAR

Eduardo e Gustavo Juliá, filhos do ex-comandante da Força Aérea argentina José Juliá, estão citados num processo que investiga a modelo colombiana Angie Sanclemente Valencia - presa em 2010 ao tentar transportar 55 de cocaína da Argentina para a Europa.

Angie seria a chefe de um pequeno cartel que opera em Mar del Plata, vinculado às máfias mexicanas.

Nesse processo, porém, os dois figuram como pilotos do avião - de propriedade da dupla - que transportava a droga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.