Madri libera passageiros de avião com suspeito de ebola

Madri libera passageiros de avião com suspeito de ebola

Os agentes sanitários seguiram o protocolo indicado para esse tipo de situação, segundo ministra da Saúde

Estadão Conteúdo

16 de outubro de 2014 | 12h42

O governo espanhol liberou os passageiros que foram mantidos dentro de um avião no aeroporto de Madri, na manhã desta quinta-feira, devido à suspeita de que um dos viajantes tivesse sido contaminado pelo vírus ebola.

Segundo informou a ministra da Saúde, Ana Mato, ao jornal El País, os agentes sanitários seguiram o protocolo indicado para esse tipo de situação, tomando os dados dos demais passageiros e orientando que se internassem no hospital Carlos III, caso tivessem sintomas da doença.

O passageiro que reclamou de febre e tremores durante o voo foi levado ao mesmo centro de saúde, que é o designado para o tratamento do ebola no país e foi onde a enfermeira Teresa Romero se contaminou com o vírus, enquanto cuidava de um paciente.

O novo paciente veio da Nigéria no voo, que teve escala em Paris, e ainda será testado para verificar se tem ebola. A ministra da saúde informou que todos os voos diretos que chegam à Espanha vindos do país estão sendo monitorados. Ao todo, 153 passageiros e sete tripulantes estavam no avião.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaebolaaviãopassageiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.