Maduro acusa EUA de financiarem violência pós-eleitoral

O presidente eleito da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou nesta terça-feira a Embaixada dos Estados Unidos em Caracas de financiar os protestos e os atos de violência pós-eleitoral que até agora deixaram sete mortos e 61 feridos no país sul-americano.

AE, Agência Estado

16 de abril de 2013 | 17h44

"A embaixada financiou e dirigiu todos os atos de violência", declarou o presidente eleito à televisão estatal. "A Embaixada dos Estados Unidos financiou esses grupos neonazistas", prosseguiu. "Este país não pode ser governado pela burguesia, (...) assassina desse jeito", disse Maduro.

O presidente eleito da Venezuela assegurou ainda que pretende divulgar em breve provas para sustentar sua acusação.

Esta não é a primeira vez que Maduro acusa os Estados Unidos de estarem por trás de ações para causar turbulência política na Venezuela. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaMaduroEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.