Maduro acusa imprensa de fazer campanha contra Copa no Brasil

Presidente venezuelano convoca o país para  torcer por seleções sul-americanas no Mundial e espera por título para o continente

O Estado de S. Paulo

02 de junho de 2014 | 12h30

 CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, criticou no domingo, 1, a atuação da imprensa na cobertura da Copa do Mundo. Na avaliação do chavista, os meios de comunicação fazem uma campanha contra o Mundial no Brasil.

"Os grandes meios de comunicação montaram uma campanha contra o Mundial de Futebol que será disputado no Brasil este mês, como aconteceu com o anterior na África do Sul, porque para eles só vale se for feito no norte", disse Maduro.

O presidente afirmou ainda que há uma campanha mundial contra a Copa no Brasil e, como sul-americano, se opõe às vozes agoureiras que quiseram manchá-la.

"Há uma campanha e eu peço a Deus que abençoe o povo do Brasil e peço, com essa bênção, que o Mundial de Futebol seja um Mundial que saia da melhor maneira e que nossas seleções latino-americanas tenham a melhor sorte, e que essa Copa fique aqui, na América Latina", ressaltou em pronunciamento pela televisão no qual abordou diversos assuntos. 

 

Apesar de a seleção da Venezuela não ter se classificado para a Copa, Maduro pediu a seu concidadãos para assistirem aos jogos". "Desejamos ao Brasil, ao povo do Brasil, à presidente Dilma Rousseff toda a sorte para este Mundial de Futebol. É um orgulho para os sul-americanos que este Mundial aconteça em território sul-americano", concluiu. EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.