Miraflores Palace/REUTERS
Miraflores Palace/REUTERS

Maduro agradece apoio americano ao diálogo

Presidente venezuelano revela que líder opositor Leopoldo López, que cumpre prisão domiciliar, compareceu a reuniões 

O Estado de S.Paulo

17 Setembro 2017 | 21h06

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, agradeceu neste domingo, 17, ao presidente americano, Donald Trump, pelo apoio dos EUA na nova tentativa de diálogo entre governo venezuelano e oposição. Washington expressou, na sexta-feira, apoio às reuniões que ocorrem na República Dominicana para reativar um processo de negociação política, segundo o Departamento de Estado.

“Os EUA reiteram o seu pedido de restauração completa da democracia na Venezuela. Apoiamos negociações sérias que de boa-fé alcancem este objetivo”, afirmou o governo de Trump. O comunicado americano também menciona os esforços do presidente dominicano, Danilo Medina, por sediar as reuniões, que serão retomadas no dia 27. 

Apesar dos agradecimentos, as relações entre os dois países estão sob tensão. Há algumas semanas, Trump assinou uma ordem executiva com a qual proíbe as “negociações com o governo da Venezuela e a sua companhia petroleira estatal”.

A medida da Casa Branca proíbe também “negociações com certos bônus existentes do setor público venezuelano, assim como pagamentos de dividendos ao governo da Venezuela”, que é acusado por Washington de levar o país a uma ditadura.

Opositor. Maduro revelou hoje que o líder opositor Leopoldo López, que cumpre prisão domiciliar, compareceu a reuniões da oposição com o governo e informou que já está em andamento um “diálogo”, enquanto os opositores afirmam que as conversas são apenas um “processo exploratório”. “Como chefe da administração penitenciária, eu autorizei e o senhor Leopoldo López, inclusive na sua condição de preso, compareceu a reuniões”, afirmou Maduro. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.