REUTERS / Jose Miguel Gomez
REUTERS / Jose Miguel Gomez

Maduro amplia estado de exceção na fronteira com a Colômbia

Apesar de promessa de discutir a crise com Santos, com intermediação do Brasil, passagem fronteiriça em Zulia foi fechada

O Estado de S. Paulo

08 Setembro 2015 | 10h24

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou na madrugada desta terça-feira, 8, o fechamento da passagem fronteiriça de Paraguachón, entre o Estado venezuelano de Zulia e o Departamento colombiano da Camponesa. O líder chavista disse que a medida tem como objetivo ampliar a luta contra o contrabando e a violência. Estado de exceção foi decretado em três municípios.  

"Decidi, depois de um diagnóstico preciso, pelo fechamento da passagem fronteiriça de Paraguachón, no estado de Zulia, para continuar avançando no combate aos crimes de paramilitares e contrabandistas", anunciou Maduro.

O anúncio foi feito durante um Conselho de Ministros. Maduro também determinou mobilização de 3 mil soldados na região "para defender o povo de Zulia".

Essa medida é anunciada 20 dias depois do fechamento da passagem fronteiriça de Táchira, onde o estado de exceção está em vigor desde 21 de agosto, com as mesmas justificativas.

O presidente venezuelano informou que os municípios que estarão submetidos ao estado de exceção a partir de amanhã são Guajira, Mara e Almirante Padilla e que também serão implementadas medidas especiais de restrição de passagem sobre o rio Limón.

O anúncio de Maduro foi feito depois de ele ter aceitado a mediação de Brasil e Argentina no conflito fronteiriço com a Colômbia. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.