Jhonn Zerpa/Venezuelan Presidency via AFP
Jhonn Zerpa/Venezuelan Presidency via AFP

Maduro anuncia prisão de espião americano na Venezuela

Homem teria sido capturado com armamento pesado e grande quantidade de dólares em espécie

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2020 | 23h23

CARACAS - Um espião americano foi preso perto de duas refinarias da Venezuela, depois que autoridades desmantelaram um plano para "ocasionar uma explosão" em outro complexo de refino, anunciou nesta sexta-feira, 11, o presidente Nicolás Maduro. 

"Capturamos ontem um americano espionando no estado Falcón as refinarias de Amuay e Cardón", do centro de refino de Paraguaná (noroeste), anunciou o presidente em pronunciamento na TV. "Trata-se de um marinheiro que prestou serviços em bases da CIA no Iraque e foi capturado com armamento pesado e grande quantidade de dólares em espécie."

A prisão acontece depois que autoridades "descobriram e frustraram, na última quarta-feira, um plano para causar uma explosão" na refinaria de El Palito, a mais próxima de Caracas, localizada no estado Carabobo, prosseguiu Maduro, que não informou detalhes do local de reclusão.

No mês passado, os americanos Luke Alexander Denman e Airan Berry foram condenados a 20 anos de prisão na Venezuela, acusados de terrorismo, entre outros crimes, por uma tentativa de incursão armada pelo país.

Horas antes, o governo Maduro anunciou um "plano de contingência" para regulamentar o abastecimento de combustível frente à escassez de gasolina que o país enfrenta. "É uma guerra de vingança do império gringo contra a Venezula, para impedir que o país produza todos os derivados de petróleo", expressou o presidente. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.