REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Maduro apresenta 400 recursos legais contra assinaturas recolhidas para referendo

Ações incluem denúncias e processos por ‘usurpação de identidade’, segundo Jorge Rodríguez, que monitora processo para tirar o presidente do poder. Oposição é acusada de entregar rubricas de pessoas mortas, menores de idade e condenados

O Estado de S.Paulo

07 Julho 2016 | 09h20

CARACAS - O governo venezuelano interpôs 400 recursos legais contra as assinaturas apresentadas pela oposição para um referendo revogatório do mandato do presidente Nicolás Maduro.

As ações incluem denúncias e processos por "usurpação de identidade", apresentadas à Promotoria em diversos Estados, disse na quarta-feira Jorge Rodríguez, designado por Maduro para monitorar o processo que busca tirá-lo do poder.

"Mais de 400 denúncias e processos foram colocados diante da Promotoria. Serão contados em milhares os processos de cidadãos contra essa gigantesca fraude que foi perpetrada", declarou o porta-voz à imprensa.

Rodríguez destacou que as acusações são por "usurpação de identidade, pois segundo ele a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) entregou assinaturas de pessoas mortas, menores de idade e condenados.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) deverá anunciar em 26 de julho se a MUD conseguiu validar as 200 mil assinaturas para ativar o referendo, que para Maduro é impossível de ser realizado em 2016, já que a oposição começou a tramitar muito tarde.

Cumprindo esse requisito, a MUD terá que recolher quatro milhões de assinaturas para que o CNE convoque os eleitores às urnas. /AFP

Mais conteúdo sobre:
Venezuela Referendo Nicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.