Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Maduro autoriza passagem de brasileiros doentes, diz vice-cônsul

Segundo Ewerton Oliveira, 100 brasileiros haviam buscado assistência na representação até a noite de ontem, entre turistas e residentes no país vizinho

Felipe Frazão, Enviado Especial/Pacaraima (RR), O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2019 | 17h30

O vice-cônsul do Brasil em Santa Elena do Uairén, Ewerton Oliveira, disse que um grupo de brasileiros retido na cidade venezuelana de fronteira com Pacaraima, em Roraima, deve começar a regressar ao País nesta terça-feira, 26. Ele afirmou ter obtido aval parcial do regime chavista para repatriar pessoas com problemas de saúde. As negociações estavam emperradas, com a necessidade de autorização de Caracas.

“Acabei de receber autorização do general venezuelano para que os brasileiros com situação de saúde possa vir buscar tratamento aqui em Pacaraima ou em Boa Vista. Vou reunir todos esses para possivelmente tentar atravessar com eles até o final dessa tarde”, afirmou Oliveira.

Segundo o vice-cônsul, 100 brasileiros haviam buscado assistência na representação até a noite de ontem, entre turistas e residentes na Venezuela. Desse total, entre 10 e 15 estão doentes ou em recuperação.

Uma mulher, por exemplo, havia buscado uma clínica venezuelana para realizar uma cirurgia de varizes e não conseguiu retornar.

Mais cedo, o diplomata atravessou a fronteira para comprar alimentos e medicamentos analgésicos e contra hipertensão.

Oliveira informou que mais caminhoneiros brasileiros foram autorizados a se deslocar até a Aduana na fronteira com Pacaraima, onde poderão recolher as carretas e aguardar a permissão de travessia. Há 30 deles no país, alguns com os veículos estacionados no acostamento de estradas. A fronteira segue oficialmente fechada pelo regime de Nicolás Maduro.

Para Entender

Venezuelanos vão às ruas contra o governo de Nicolás Maduro; entenda os motivos da manifestação antichavista

Protestos foram convocados pela oposição e receberam apoio dos Estados Unidos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.