Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

Maduro disse que balanço do encontro de domingo para processo de diálogo foi ‘positivo’

Presidente da Venezuela pediu para se ‘desarmar o ódio’ no país e afirmou que a reunião com o subsecretário de Estado dos EUA para Assuntos Políticos, Thomas Shannon, foi ‘de muita harmonia, de muita empatia’

O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2016 | 10h51

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse na segunda-feira que o balanço sobre a instalação do processo rumo ao diálogo político realizado na noite de domingo é "positivo", de acordo com as impressões ouvidas dos acompanhantes internacionais.

Maduro, que fez reuniões com o enviado especial do Vaticano, o italiano Claudio Maria Celli, com o ex-premiê da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, e com o subsecretário de Estado dos EUA para Assuntos Políticos, Thomas Shannon, garantiu que todos consideraram "positivo" o início do processo.

"O que recebi do relatório que me foi dado pela comissão liderada pelo companheiro Jorge Rodríguez (governista), das impressões do monsenhor Celli e do ex-presidente Zapatero, é que a reunião foi respeitosa, de altura, franca", disse a jornalistas.

As declarações do presidente foram feitas no palácio presidencial de Miraflores após realizar separadamente as reuniões com os visitantes internacionais, encontros que se estenderam por uma hora cada, segundo Maduro.

"A reunião com o monsenhor Celli foi bem positiva", afirmou após comentar que também esteve presente o núncio na Venezuela, Aldo Giordano.

Além disso, Maduro afirmou que recebeu em seu escritório Zapatero, com quem também avaliou a reunião de instalação do processo para iniciar um diálogo e a criação das mesas de trabalho que entraram em atividade na segunda-feira.

"Não quero falar por Thomas Shannon, mas suas impressões foram muito positivas sobre o início e instalação do processo de diálogo pela paz na Venezuela. Foi uma reunião de muita harmonia, de muita empatia", disse Maduro, ao mencionar o representante americano.

O líder venezuelano comentou que "já é uma grande notícia para a Venezuela" que esteja sendo dado início ao processo rumo ao diálogo e que tenha "começado bem". "Já podemos dizer que hoje (segunda-feira) começaram as primeiras comissões aplicando a metodologia que foi aprovada ontem (domingo)", disse sobre as quatro mesas de trabalho coordenadas pelos mediadores da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e da Santa Sé.

"A pessoa mais contente no dia de ontem quando se instalou essa mesa fui eu, porque busquei o diálogo e sou muito feliz hoje porque na Venezuela há um processo de diálogo. Chamo toda a Venezuela (a se juntar), inclusive os setores que se isolaram e dizem ‘não’ ao diálogo", declarou.

Maduro pediu para se "desarmar o ódio" e comentou que no domingo, quando foi instalada a reunião para o diálogo, conheceu pessoalmente o secretário-executivo da aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) Jesús Torrealba, e confessou: "Me pareceu bem". / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.