Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

Maduro diz que instalará sistema de mísseis na fronteira com a Colômbia

Sem apresentar qualquer tipo de evidência, o líder chavista afirmou que o presidente da Colômbia, Iván Duque, tem um plano para iniciar um confronto entre os dois países

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2019 | 02h03

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quarta-feira, 4, que instalará um sistema de defesa antiaérea na fronteira com a Colômbia por considerar que o governo do país vizinho pretende iniciar um conflito armado na região.

"Agora vamos instalar o sistema de mísseis de defesa antiaérea, de defesa terrestre, blindada. Vamos instalá-lo entre 10 e 28 de setembro", afirmou Maduro em pronunciamento, citando o período em que as Forças Armadas do país realizarão exercícios militares na fronteira.

No discurso, Maduro ainda lembrou que ontem decretou alerta laranja para as unidades militares nos estados de Zulia, Táchira, Amazonas e Apure, todos na fronteira com a Colômbia.

Sem apresentar qualquer tipo de evidência, o líder chavista afirmou que o presidente da Colômbia, Iván Duque, tem um plano para iniciar um confronto entre os dois países. A estratégia, segundo Maduro, é provocar um "falso positivo em setembro".

"Ele pretende montar um falso positivo, agredir o território venezuelano para ir ao Conselho de Segurança das Nações Unidas para armar um show político barato às custas de um conflito armado", disse o líder chavista.

Para Maduro, Duque levou a Colômbia de volta a uma "situação de guerra" devido ao rearmamento de dissidentes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O governo colombiano acusa a Venezuela de dar abrigo aos guerrilheiros.

"A violência da Colômbia que fique na Colômbia, não a queremos aqui", afirmou Maduro. EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.