AFP PHOTO / Juan BARRETO
AFP PHOTO / Juan BARRETO

Maduro diz ter 'provas' de envolvimento da Colômbia em atentado

Em vídeo divulgado nas redes sociais, presidente venezuelano reafirma acusações contra homólogo vizinho, Juan Manuel Santos

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2018 | 03h17

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, diz ter "provas suficientes" da participação da Colômbia no que considera um atentado com drones carregados com explosivos ocorrido no último sábado, 4. Em vídeo publicado nas redes sociais nesta terça-feira, 7, o mandatário reafirma suas acusações contra Juan Manuel Santos e diz que suspeitos foram treinados em território colombiano.

De acordo com Maduro, as forças de segurança "capturaram todos os autores materiais" e investigam agora quem idealizou o ataque. "É clara e há provas suficientes da participação do governo da Colômbia, em especial, de Juan Manuel Santos (presidente colombiano)", disse Maduro, em vídeo divulgado em rede social, acompanhado de líderes e autoridades do governo venezuelano.

Maduro diz que divulgará as provas e depoimentos ainda nesta terça-feira.

 

O presidente disse ainda que as investigações apontam que os suspeitos do atentado foram treinados em Chinácota, município na província de Santander, no norte da Colômbia. "Os assassinos e terroristas treinaram com colombianos", acusa Maduro.

No último sábado, Maduro interrompeu o discurso que fazia em um desfile militar em Caracas após a explosão de drones próximo ao local onde estava. O governo classificou o ato como um "magnicídio fracassado" e informou que sete pessoas ficaram feridas. No mesmo dia, Maduro acusou o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, de ser o responsável pelo atentado.

Santos nega as acusações. "No sábado, estava fazendo coisas mais importantes: batizando a minha neta", respondeu o colombiano, em rede social. //AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.