AFP PHOTO / JUAN BARRETO
AFP PHOTO / JUAN BARRETO

Maduro e Santos decidem reabrir fronteira entre Colômbia e Venezuela

Tendência é a normalização da fronteira, em virtude da escassez cada vez maior de alimentos e remédios na Venezuela

O Estado de S. Paulo

11 Agosto 2016 | 18h06

Os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Colômbia, Juan Manuel Santos, se reuniram na cidade venezuelana de Puerto Ordaz, para discutir a reabertura progressiva da fronteira entre os dois países, fechada há quase um ano. A passagem entre os dois países será liberada gradualmente a partir de 13 de agosto, em horários delimitados, e com especial atenção das forças de segurança em relação ao contrabando de remédios. 

Em reunião preparatória entre as chanceleres Maria Angela Holguín, da Colômbia, e Delcy Rodríguez, da Venezuela, na semana passsada, foram negociados avanços em temas como imigração, segurança, transporte e saúde, disse o Ministério de Relações Exteriores da Colômbia em nota. 

A abertura deve ser feita de maneira gradual e será criada um documento para que venezuelanos e colombianos que moram na região de fronteira possam cruzá-la. 

Maduro determinou o fechamento da fronteira em 19 de agosto, após um ataque a três militares durante uma operação contra o contrabando em San Antonio de Táchira. A medida, inicialmente válida apenas para o Estado de Táchira, se estendeu posteriormente para Zulia, Apure e Amazonas. Os dois países partilham 2,2 mil km de fronteira. Mais de mil colombianos foram deportados da Venezuela. 

A decisão de  Maduro provocou uma crise diplomática entre os dois países, que foi resolvida um mês depois, com intermediação do governo do Equador. Em julho, a fronteira foi reaberta em dois fins de semana e milhares de venezuelanos foram para a Colômbia tentar comprar comida e remédio. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.