Maduro expulsa três diplomatas dos EUA

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, expulsou três diplomatas norte-americanos do país sob acusação de conspirarem contra o governo.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2013 | 21h12

Em um discurso inflamado para os membros das forças armadas venezuelanas, Maduro afirmou que as autoridades norte-americanas tem até 48 horas para abandonar o território nacional.

Este é o mais recente incidente que pode desafiar as relações diplomáticas entre os inimigos ideológicos. Desde que assumiu o cargo em abril, Maduro fez algumas acusações contra Washington, que estaria conspirando contra o regime venezuelano. Os críticos de Maduro afirmaram que ele não tinha evidências para sustentar as acusações. Os norte-americano também negaram as acusações.

"Fora da Venezuela! Fora da Venezuela!" exigiu Maduro. "Eu não me importo com as ações que o governo de Barack Obama pode ter".

O presidente sugeriu que os diplomatas dos Estados Unidos estavam por trás de um complô para desestabilizar a economia venezuelana, que está passando por dificuldades de escassez de bens de consumo básicos e tem uma moeda com depreciação rápida .

"O que aconteceria se alguns funcionários da embaixada da Venezuela trouxessem dinheiro e começassem a pagar para sabotar o sistema econômico estrangeiro?", questionou Maduro.

Um porta-voz da embaixada dos Estados Unidos em Caracas se recusou a comentar a notificação oficial das expulsões.

Em março, Maduro expulsou dois militares da embaixada dos EUA no mesmo dia em que anunciou a morte de seu antecessor, Hugo Chávez. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
venezuelaexpulsãodiplometaseua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.