Maduro não vai a Assembleia da ONU por ameaças

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, afirmou nesta quarta-feira que desistiu de participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York para "proteger a vida ", depois de ter recebido supostas ameaças.

AE, Agência Estado

26 Setembro 2013 | 04h40

Quando retornava de sua visita à China, Maduro teria recebido "ameaças sérias" durante a sua escala em Vancouver. As ameaças teriam feito com que o presidente venezuelano desistisse de comparecer à Assembleia da ONU.

"Quando cheguei em Vancouver, decidi voltar para Caracas e desisti da minha viagem à Nova York com um único objetivo: proteger a minha vida", afirmou Maduro.

Uma das supostas ameaças "era contra a minha integridade física" e a outra poderia ter envolvido algum ataque violento em Nova York.

A Venezuela é a principal aliada de Cuba, que regularmente tem dito que os conservadores norte-americanos estão conspirando contra os seus líderes, as suas políticas de esquerda e os governos da região.

No início de setembro, Maduro afirmou que a Casa Branca estava tentando estabelecer um "colapso" em sua gestão por meio da sabotagem de comida , eletricidade e combustível. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
venezuelaonuassembleiaameaças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.