EFE/Prensa Mirfaflores
EFE/Prensa Mirfaflores

Maduro nomeia novo chanceler em meio a rejeição internacional por Constituinte

Casado com Rosa Virginia Chávez, filha mais velha do ex-presidente Hugo Chávez, Jorge Arreaza substitui Samuel Moncada, que temporariamente estava no lugar da ministra Delcy Rodríguez, eleita para a Constituinte

O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2017 | 12h09

CARACAS - O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, nomeou nesta quarta-feira como novo chanceler Jorge Arreaza, ex-vice-presidente e atual ministro de Minas, em meio à pressão internacional contra a polêmica Assembleia Constituinte.

"Decidi nomear já como chanceler titular, ministro das Relações Exteriores da República Bolivariana da Venezuela, o companheiro Jorge Arreaza", anunciou o presidente em ato político.

Casado com Rosa Virginia Chávez, filha mais velha do ex-presidente Hugo Chávez, Arreaza substitui Samuel Moncada, que  temporariamente estava no lugar da ministra Delcy Rodríguez, eleita para a Constituinte. 

"Estou lhe dando responsabilidades especiais para que se instale em Washington (...) para defender nos Estados Unidos a verdade, a paz e a dignidade da Venezuela", explicou o mandatário.

Arreaza, um internacionalista de 44 anos, era ministro de Desenvolvimento Mineiro Ecológico.

Ele assume a chancelaria em meio a uma forte rejeição internacional à Constituinte de Maduro, que será instalada na sexta-feira.  

Os Estados Unidos, a União Europeia e nações sul-americanas, entre elas o Brasil, anunciaram que essa  assembleia não será reconhecida.

"Tão importante quanto recuperar a economia é derrotar a agressão imperialista que se está montando com uma coalizão de países contra a Venezuela, como denuncio. Está sendo montada uma agressão econômica, política e militar encabeçada pelo governo de Donald Trump com um grupo de governos de direita", disse o chefe de Estado.

Arreaza foi vice-presidente de Maduro entre abril de 2013 e janeiro de 2016, quando assumiu o cargo de ministro da Educação Universitária, Ciência e Tecnologia.

No governo Chávez (1999-2013) foi ministro da Ciência e Tecnologia. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.