Maduro pede por poderes para governar por decreto

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu ao Congresso por poderes para governar por decreto para que dê prosseguimento na luta contra a corrupção e na tentativa de acelerar o crescimento econômico. Se o pedido for aprovado, Maduro poderá criar leis sem consultar o Congresso.

AE, Agência Estado

09 de outubro de 2013 | 10h02

Maduro precisa da aprovação de três quintos do Congresso, que tem 165 assentos, mas o Partido Socialista Unido da Venezuela, de Maduro, não consegue alcançar a marca de 99 votos por um parlamentar, o que significa que precisará alcançar um acordo para passar a medida. O Congresso debaterá a proposta nos próximos dias.

"Aqueles que não aprovarem têm algo a esconder ou compartilha dessa cultura [da corrupção], disse o ministro do Interior, Miguel Rodriguez Torres. Maduro disse em discurso na televisão que se a corrupção continuar a se reproduzir não haverá socialismo no país.

Desde que foi eleito, em abril, o presidente venezuelano lançou uma campanha contra a corrupção que já resultou na prisão de dezenas de empresários e membros dos ministérios do governo.

Os opositores de Maduro dizem que a campanha contra a corrupção é uma desculpa para o presidente atingir seus inimigos políticos e se consolidar no poder, depois de vencer as eleições por uma estreita margem de dois pontos percentuais. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaMaduroCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.