AP Photo/Ariana Cubillos, File
AP Photo/Ariana Cubillos, File

Maduro pede suspensão da imunidade parlamentar na Venezuela

Segundo líder bolivariano, medida seria necessária para 'manter a paz e combater o golpismo'; presidente anunciou que prepara decreto para ser avaliado pela Sala Constitucional do Tribunal Supremo de Justiça

O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2016 | 10h10

CARACAS - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na quarta-feira, 31, que pedirá ao Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) que analise a suspensão da imunidade parlamentar no país para combater uma suposta tentativa de golpe de Estado.

"Pedi que preparem um decreto para consulta na Sala Constitucional (do TSJ) sobre a suspensão da imunidade envolvendo todos os cargos públicos, começando pela imunidade parlamentar na Venezuela, caso seja necessário para manter a paz e combater o golpismo", declarou Maduro nas vésperas da grande passeata opositora em Caracas, marcada para esta quinta, 1º.

A passeata tem por objetivo exigir do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) que acelere a convocação do referendo revogatório do mandato de Maduro. "A imunidade parlamentar não foi criada para violar a Constituição, para cometer crimes, para provocar uma intervenção estrangeira", acrescentou Maduro, explicando que a petição se insere no estado de exceção decretado em janeiro diante da emergência econômica nacional.

O Parlamento e o TSJ, que a oposição acusa de servir ao chavismo, estão envolvidos em um conflito de poderes desde que a oposição venceu amplamente as eleições legislativas em 6 de dezembro de 2015. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaNicolás MaduroParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.