Maduro rebate críticas sobre crise dizendo que faz uma revolução

Presidente da Venezuela afirma que no país 'o povo tem o poder verdadeiramente' e elogia reunião dos Brics

Leonencio Nossa / Brasília, O Estado de S. Paulo

16 Julho 2014 | 15h59

BRASÍLIA - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira, 16, que enquanto o mundo fala da crise venezuelana, ele continua a fazer uma revolução em que a democracia está sob o comando do povo e está vencendo as campanhas internacionais contra seu governo.

"Sempre lutando, trabalhando, fazendo a revolução, que é mais importante, construindo uma forma de democracia protagonista em que o povo tem o poder verdadeiramente. E nos defendendo de tantas campanhas mundiais que trataram de caricaturar a realidade sobre um país que constrói sua própria fórmula política para a independência, a soberania, a prosperidade social", disse o presidente venezuelano, que está em Brasília para a reunião dos Brics.

Maduro afirmou que a reunião dos seis países marca um novo tempo na geopolítica mundial. "É uma oportunidade histórica porque marca num novo tempo. Uma grande aliança das cinco potências emergentes (Rússia, China, Brasil, Índia e África do Sul) com a América do Sul como bloco. Essa aliança realmente é extraordinária, vai criando as bases econômicas, financeiras, culturais e políticas de um mundo novo. E toda essa aliança nasce para a paz, o crescimento, a prosperidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.