Mãe condenada pelo suicídio do filho de 12 anos

Judith Scruggs, de 52 anos, foi condenada, hoje, a 10 anos de prisão, por contribuir para o suicídio de seu filho de 12 anos, que se enforcou no armário com uma gravata, depois de sofrer, por meses, a zombaria dos colegas de escola por causa de seu mau cheiro e mau hálito. Segundo a acusação, Judith mantinha uma casa suja, que impedia J. Daniel Scruggs de melhorar suas hábitos de higiene.Mas ela livrou-se de uma outra acusação, que pretendia condená-la por não haver providenciado boa assistência médica e psicológica para o filho. E também foi absolvida de acusação de crueldade.Especialistas dizem que o caso marca uma das primeiras vezes em que pais são responsabilizados legalmente pelo suicídio do filho. E os promotores afirmam que não ficaram felizes em acusar uma mulher enlutada, mas acharam que um júri deveria decidir se as ações de Judith contribuíram para a morte do menino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.