Gary Granja/Reuters
Gary Granja/Reuters

Mãe de Assange tem reunião com governo do Equador

Christine Assange afirmou que a saúde do filho, o fundador do WikiLeaks, está se deteriorando

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 20h17

QUITO - A mãe de Julian Assange, fundador do website WikiLeaks, disse nesta segunda-feira, 30, que a saúde do filho dela está se deteriorando na Embaixada do Equador na Grã-Bretanha, onde o australiano está confinado há mais de um mês. Assange, de 40 anos, aguardava a possível extradição da Inglaterra à Suécia quando se refugiou na embaixada equatoriana e pediu asilo político a Quito. Na Suécia, Assange é acusado de abuso sexual e estupro por duas mulheres. Ele nega as acusações.

Veja também:

link Mãe de Assange teme pena de morte e torturas se filho for para os EUA

link Garzón diz que pressão sobre Assange é política

Christine Assange, a mãe do editor do WikiLeaks, foi ao Equador e teve uma reunião com funcionários, com os quais discutiu o pedido de asilo feito pelo filho. Mas a chancelaria do Equador informou que não se manifestará sobre o pedido de Julian Assange até meados de agosto, quando acaba a Olimpíada de Londres.

Christine Assange disse que Julian vive sob condições muito difíceis na embaixada, não pode praticar exercícios físicos e está sob forte pressão psicológica.

O WikiLeaks publicou mais de 500 mil documentos classificados da diplomacia dos Estados Unidos e também dos governos de outros países, além de documentos secretos das guerras do Iraque e do Afeganistão. Assange teme que a Suécia o extradite aos EUA.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.