Mãe de militar americano pede ajuda ao México

A mãe de um médico militar de origem mexicana, processado por desertar as tropas americanas no Iraque, pediu neste domingo que o Governo do México interceda junto a Washington para evitar que seu filho seja condenado a prisão."Estou aqui para pedir à Chancelaria mexicana que invoque o programa de proteção consular e dê assessoria legal a meu filho antes que o condenem", disse Susana Aguayo, mãe do soldado Agustín Aguayo.Amanhã ela deve se reunir com a secretária de Relações Exteriores mexicana, Patricia Espinosa, para lhe entregar uma carta com o pedido de ajuda. Susana assegura que, da mesma forma que seu filho, "muitos outros jovens mexicanos que se alistaram no Exército dos Estados Unidos vivem uma situação delicada".Segundo Susana Aguayo, seu filho, de 35 anos e atualmente sob detenção em uma prisão militar dos EUA na Alemanha, será levado perante uma corte militar no dia 6 de março e enfrenta a possibilidade de ser condenado a sete anos de prisão.O soldado declarou em setembro de 2006 "objeção de consciência" e se negou a cumprir uma ordem de retornar a sua unidade no Iraque, por isso que a justiça militar o está processando, de acordo com seus parentes.Agustín Aguyo nasceu na cidade de Guadalajara, no oeste do México, e obteve a nacionalidade americana antes de se alistar no Exército do país, o que ocorreu no ano 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.