Mãe de Neil Heywood quebra o silêncio

A mãe do empresário britânico, Neil Heywood, resolveu quebrar o silêncio neste domingo e falou sobre o assassinato de seu filho, que apareceu morto em novembro de 2011 em um hotel de Chongqing, na China. Ann Heywood falou com o objetivo de fazer com que as autoridades chinesas agissem com "determinação e compaixão" para atenuar os efeitos da morte de seu filho para a família, especialmente para seus dois filhos.

AE, Agência Estado

11 de agosto de 2013 | 21h04

Em entrevista ao The Wall Street Journal, Ann afirmou que o assassinato de seu filho fez com que os filhos do empresário ficassem sem provisão financeira para o futuro.

"Até agora eu recusei todas as solicitações de entrevistas dos meios de comunicação para comentar sobre a morte de Neil, porque não queria causar um constrangimento desnecessário para as autoridades chinesas", disse Ann. "No entanto, as circunstâncias agora me obrigam a quebrar o silêncio", completou.

A mãe do empresário britânico afirmou que ainda não recebeu qualquer oferta de compensação ou uma explicação completa sobre as circunstâncias que levaram à morte de seu filho. As autoridades chinesas relatam que Heywood foi morto por envenenamento com cianeto.

"Espero que os líderes chineses atuem para atenuar as consequências de um crime terrível e para permitir que a minha família finalmente consiga algum desfecho para este pesadelo", disse Ann.

Gu Kailai, esposa de Bo Xilai, ex-secretário do Partido Comunista chinês em Chongqing, foi condenada em 2012 pelo assassinato de Heywood. O empresário era amigo e conselheiro da família do comunista. Segundo as autoridades chinesas, Xilai enfrentará um julgamento por acusações de peculato, corrupção e abuso de poder. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
chinaassassinatoheywood

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.