Mãe de suspeito de terrorismo nega ligação do filho com grupo que planejava ataque a NY

O libanês suspeito de ter planejado um ataque terrorista contra túneis ferroviários de Nova York é um professor universitário de economia e não um militante da Al-Qaeda, disse sua família em entrevista nesta sexta-feira. Segundo a polícia libanesa, no entanto, Assem Hammoud, preso em abril, teria confessado ter planejado os ataques sob ordens do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden.Mas a mãe de Hammoud desmentiu as acusações. Em entrevista à Associated Press, ela disse que seu filho bebia álcool, tinha namoradas, viajava para o exterior e tinha vida social."Parecemos com radicais da Al-Qaeda?", perguntou Nabila Qotob na luxuosa casa da família em um bairro de alto padrão de Beirute.Desde que seu filho foi preso, ela foi visitá-lo a cada três dias na delegacia de polícia em que ele está preso. "Ele está com o moral alto porque está seguro de que é inocente", disse ela. Hammoud completou 31 anos na quinta-feira."Não façam acusações. Meu filho é inocente. Que Al-Qaeda? Ele nunca deixou de estar próximo do pai. Ele ama a vida e se divertir. Eu tenho total segurança de que o meu filho não tem nada com a Al-Qaeda."Mostrando álbuns fotográficos, ela apontou imagens de Hammoud com mulheres que seriam suas namoradas. Segundo Nabila, seu filho não rezava regularmente em casa, mas ocasionalmente ia a uma mesquita acompanhado do pai, que morreu no ano passado.Hammoud, que é solteiro, estudou finanças e economia no Canadá no final dos anos 1990. Ele fala inglês, francês e alemão, além de árabe, e ensinava economia na Universidade Internacional do Líbano.Autoridades americanas em Washington disseram nesta sexta-feira terem desmantelado um plano de terroristas estrangeiros para atacar túneis em Nova York. Agentes do FBI descobriram o plano, que estava nos estágios iniciais, monitorando salas de chat na internet utilizadas por extremistas islâmicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.