REUTERS / Thilo Schmuelgen
REUTERS / Thilo Schmuelgen

Mãe e filhas admitem culpa por incêndio que matou macacos em zoo

Elas compareceram voluntariamente à delegacia e reconheceram que lançaram cinco lanternas chinesas na noite de fim de ano

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2020 | 13h22

BERLIM - Uma sexagenária e as suas duas filhas admitiram nesta quinta-feira, 2, que são as responsáveis pelas lanternas chinesas que caíram em um zoológico em Krefeld, na Alemanha, e que, na noite do final do ano, causaram o incêndio responsável pela morte de dezenas de macacos.

A mãe e as filhas compareceram voluntariamente à delegacia e reconheceram que lançaram cinco destas lanternas, informou a polícia local.

Desde 2009, estes objetos são proibidos no estado da Renânia do Norte-Vestfália. Elas estão arrasadas, disse uma fonte ouvida pela reportagem.

Uma das lanternas, compradas on-line, caiu na gruta dos macacos do zoológico local, causando o incêndio mortal que tirou a vida de 30 macacos de espécies diferentes. Entre eles, havia orangotangos, saguis e chimpanzés.

As mulheres que admitiram sua culpa afirmaram que não pensaram nas possíveis consequências de seu gesto.  Agora,  elas serão acusadas por incêndio criminoso por negligência. Estão sujeitas a uma sentença de prisão de até cinco anos e ao pagamento de uma pesada multa.

O zoológico de Krefeld tem mil animais e recebe cerca de 400 mil visitantes por ano. Após o incidente, recebeu doações e mensagens de solidariedade. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.