Mãe e filho saem ilesos de ataques na Noruega

Gina escapa de explosão, Knut, de massacre

, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2011 | 00h00

Em meio à tragédia e ao drama dos noruegueses que perderam amigos e parentes, o caso de Gina Lund é único. Na semana passada, ela escapou da explosão do carro-bomba em Oslo. Horas depois, seu filho, Knut Frydenlund, que estava na Ilha de Utoya, sobreviveu à fúria do atirador Anders Behring Breivik. A história de mãe e filho foi contada ontem pelo jornal norueguês Dagbladet.

 

Veja também:

linkDeputado italiano elogia ideias de atirador norueguês

linkInteligência diz que atirador agiu sozinho

linkPaís rediscute o porte de armas por policiais em serviço

mais imagens GALERIA: A 'Marcha das Rosas' de Oslo

blog ARQUIVO: Relembre ataques na Europa

 

Gina, de 49 anos, trabalha como secretária do Ministério do Trabalho. Na sexta-feira, dia dos ataques, um telefonema da oficina mecânica salvou sua vida. O carro havia ficado pronto antes do previsto. Ela pegou suas coisas e deixou o quinto andar do prédio às 14 horas, pouco antes da explosão que matou oito pessoas no local, às 15h30.

Quando a notícia chegou à ilha, Knut telefonou para a mãe e quis voltar para Oslo. "Disse para ele ficar onde estava", contou Gina. Em seguida, ela passou longas horas de angústia ao lado do marido, Hans Jacob Frydenlund. Durante a tarde, o casal recebeu apenas uma mensagem por SMS do filho, que tentava se esconder de Breivik: "Não me telefonem."

Knut, de 22 anos, é neto de Knut Frydenlund, estrela do Partido Trabalhista e ex-chanceler norueguês nos anos 70 e 80. De acordo com o Dagbladet, o jovem voltou para casa, em Oslo, no sábado de manhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.