Mãe tem quádruplos três anos após dar trigêmeos à luz

O marido de Angela Magdaleno sempre quis ter muitos filhos. Ela só não sabia que eles iam ter tantos assim.Magdaleno, que teve trigêmeos três anos atrás, deu à luz quádruplos no dia 6 de julho, pelo método de cesárea, no que foi considerado um caso raro de nascimentos múltiplos. Embora ela tivesse usado medicamentos de estímulo à fertilidade quando teve os trigêmeos, ela não usou qualquer artifício para ter os quadrigêmeos.A nova adição à família - dois meninos e duas meninas - passam bem, enquanto sua mãe, descansando em casa, declarou: ´estou feliz porque eles são saudáveis, assim como eu.´No entanto, Magdaleno, 40, preocupada se estará sobrecarregada com o trabalho, tem que lidar com suas apreensões a respeito do futuro. Ela também tem duas filhas mais velhas. "Eu não sei se estou triste ou feliz. Eu estou feliz, mas, eu não sei. Eu não sei como explicar", afirmou.Três anos atrás, Magdaleno deu à luz a trigêmeos após um tratamento de fertilização in vitro. Ela disse que seu marido queria muitos filhos. Após seu nascimento, ela achou que já havia completado seu trabalho quanto a ter filhos.Então, ela ficou grávida dos quadrigêmeos. Ela afirmou que ficou chocada com a novidade. "Ela quis fugir", disse seu marido, Afredo Anzaldo, 45, que trabalha como colocador de carpetes.EvoluçãoSua médica, Kathryn Shaw, uma especialista em gestações de risco, disse que Magdaleno foi bem ao longo da gravidez, e que ela não teve nenhuma complicação.Os bebês nasceram com 32 weeks - bem além da média de 29 semanas para quádruplos. No nascimento, as meninas pesavam 1,8 Kg e mediam 43 e 44 40 centímetros; os garotos pesavam cerca de 1,59 Kg, medindo cerca de 40 centímetros.Shaw afirmou que as chances de ocorrerem quádruplos sem medicamentos de estímulo à fertilidade são de uma em 800 mil. Ela afirmou que só testemunhou um único caso de concepção de quádruplos sem medicamentos - 18 anos atrás.Ainda mais raro, os garotos aparentam ser gêmeos idênticos, de acordo com sua médica, Soha Idriss, que espera que os bebês se juntem a sua mãe em cerca de oito semanas.Até a última quarta, seus pais ainda estavam decidindo nomes para os bebês. Quando os quádruplos chegarem em casa, Magdaleno deve ter a ajuda de suas filhas mais velhas.Todos os 11 membros da família viverão em um apartamento de um único quarto na parte leste de Los Angeles. Ela disse que a sala é grande, mas que não sabe exatamente o que a família fará quando os bebês ficarem mais velhos.Quando as filhas mais velhas estão na escola e o marido no trabalho, uma amiga se oferecer para ajudar com os recém-nascidos e os trigêmeos. "É um bocado de trabalho", disse a mãe.No hospital, os bebês dormem embrulhados em cobertores e ligados a monitores que checam suas condições, em incubadoras separadas. Eles têm bastante cabelo, bem moreno e pequenas bocas rosadas.Anzaldo levou dois dos trigêmeos para o centro médico White Memorial para encontrar com seus novos irmãos e irmãs, deixando Magdaleno descansar em casa.Magdaleno disse que eles aceitaram bem a idéia de ter novos irmãos e irmãs. Mas, de início, eles não estavam certos e se queriam companhia extra, disse Anzaldo. "Eles queriam apenas um bebê e nada mais", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.