Máfia disputará obras pós-terremoto, adverte procurador

O principal procurador antimáfia da Itália, Piero Grasso, advertiu que grupos do crime organizado podem tentar obter contratos de obras quando recomeçar a reconstrução das cidades devastadas pelo terremoto que atingiu a região de Abruzzo na semana passada. Grasso disse que a Itália precisa lembrar o que aconteceu após os tremores de 1980 em Nápoles. Segundo investigadores, grupos criminosos infiltraram-se em muitos projetos de construção na época.

AE-AP, Agencia Estado

13 de abril de 2009 | 16h06

Grasso foi citado hoje pela agência de notícias italiana Ansa dizendo que as autoridades terão de monitorar de perto os milhões de dólares que serão gastos na reconstrução na região de Abruzzo. Mas ele disse que grupos do crime organizado não estão tão enraizados em Abruzzo como no sul da Itália. O terremoto na região matou 294 pessoas e destruiu ou danificou dezenas de milhares de edificações.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaterremotomáfia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.