Mafioso foi enterrado ao lado de papas em Roma

A polícia abriu ontem uma tumba na Basílica de Santo Apolinário, reservada para enterrar cardeais e papas, e achou a ossada do mafioso Enrico de Pedis, chefe da organização Magliana, que agia em Roma. Ele morreu em 1990 e está envolvido no desaparecimento, em 1983, da jovem Emanuela Orlandi, de 15 anos. A Igreja, agora, é suspeita de ter aceitado suborno para enterrar o criminoso no local. Em 2008, uma ex-namorada do mafioso afirmou que o sequestro da jovem foi obra do grupo de Enrico.

O Estado de S.Paulo

15 Maio 2012 | 03h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.