Magistrados se enfurecem com comentários de Sarkozy sobre negligência com menores

O ministro do Interior da França, Nicolas Sarkozy, chamou os juízes franceses de lenientes no trato de menores transgressores. A afirmação do ministro resultou em uma reação enfurecida da união dos magistrados do país.Nesta quarta-feira, em visita a um problemático subúrbio de Bobigny, em Paris, Sarkozy disse que as sentenças emitidas pelos juízes da cidade "demonstravam uma espécie de resignação face aos delinqüentes, que se tornam mais violentos a cada dia." Sarkozy, provável candidato do partido conservador para as eleições de 2007, fez de uma postura forte contra o crime a peça principal de sua plataforma eleitoral. Ele foi a Bobigny para visitar dois policiais que ficaram feridos - um deles com dupla fratura craniana - após serem agredidos por jovens enquanto patrulhavam um conjunto habitacional. A união de juízes do país respondeu com raiva às críticas de Sarkozy, dizendo que os seus comentários enfraqueciam os trabalhos do Estado. "Novamente (Sarkozy) estigmatiza o sistema judiciário e seus magistrados", afirma uma declaração da União Sindicalizada dos Magistrados, que entrou em confronto com o ministro no ano passado após ele criticar juízes que permitem um criminoso reincidente sair da cadeia. O presidente da corte de apelos da França, Guy Canivet, chamou os comentários de Sarkozy de provocativos e pediu para se encontrar com o presidente Jacques Chirac para discutir o assunto. O premier Dominique de Villepen se uniu a um grupo de legisladores em apoio aos juízes. "Todos sabem do compromisso dos prefeitos locais, juízes, polícia e daqueles envolvidos na prevenção da delinqüência no território (francês)", afirmou Villepen em declaração divulgada após encontro sobre a situação nos bairros mais problemáticos da França. Sarkozy estava pressente no encontro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.