Maioria de palestinos culpa Israel, EUA e UE por sua situação

Uma enquete divulgada nesta terça-feira indica que 62,1% dos palestinos responsabilizam Israel, Estados Unidos e União Européia (UE) pela deterioração de sua situação econômica, enquanto 36,8% culpam os grupos Hamas e Fatah. A pesquisa foi elaborada pelo Centro Palestino de Opinião Pública, com sede em Beit Sahur, no distrito de Belém, com mil palestinos maiores de 18 anos na Cisjordânia, Gaza e Jerusalém Oriental. O trabalho reflete uma crescente preocupação da população com a subsistência familiar. Na lista de responsáveis, os EUA ocupam o primeiro lugar (30,6%), seguidos por Israel (28,4%), Hamas (24,6%), Fatah (12,2%) e UE (3,1%). Entre os entrevistados, 80,9% se mostram preocupados com a subsistência de suas famílias, enquanto 78,1% definem sua situação econômica de ruim e 62,3% se mostram pessimistas quanto a uma melhora das condições políticas e financeiras. A segurança pessoal também é uma das principais inquietações dos palestinos, pois 78,6% se sentem preocupados a respeito. Questionados sobre qual é a principal preocupação dos cidadãos atualmente, 30,2% dos entrevistados responderam que é conseguir trabalho e dinheiro; 35,2%, segurança; 12,5%, saúde; e 22,1%, o futuro.

Agencia Estado,

07 Novembro 2006 | 10h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.