Maioria dos americanos defende pena de morte

Apesar de apoiar punição, população se considera desqualificada para integrar juri

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

A maioria dos americanos apóia a pena de morte, mas quase 40% acham que suas crenças morais os desqualificariam para participar de um júri em um julgamento capital, revelou uma pesquisa neste sábado, 9. Conduzida para o Centro de Informação da Pena de Morte, um grupo que se opõe à pena capital, a pesquisa mostrou que 62% dos entrevistados defendem a execução de assassinos condenados. Porém, 39% dos 1.000 entrevistados na sondagem, que tem uma margem de erro de 3%, disseram pensar que seriam desqualificados para participar de um júri por causa de suas crenças morais. "Isso foi mais elevado do que esperávamos", afirmou o diretor do centro, Richard Dieter, em uma entrevista. "Isso mostra que a pena de morte não é tão fortemente admitida", afirmou. "Acho que isso questiona sua legitimidade." A pesquisa também mostrou que 87% acreditam que uma pessoa inocente foi executada nos últimos 15 anos, e 58& acham que deve haver uma moratória para as execuções enquanto condenações e execuções injustas são investigadas. "Isso mostra um distanciamento do público americano da pena de morte", afirmou Dieter. "Acho que vamos ver ela menos usada à medida que as pessoas estão, com razão, mais cautelosas." Mas Kent Scheidegger, diretor legal da Fundação Legal de Justiça Criminal, um grupo que em geral argumenta à favor da pena de morte, discordou. Scheidegger disse que sondagens nacionais têm consistentemente mostrado apoio sólido à pena de morte como um castigo por assassinato apesar de "ataques violentos" à ela.

Mais conteúdo sobre:
pena de morte americanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.