Youssef Badawi/Efe
Youssef Badawi/Efe

Maioria dos brasileiros veem Primavera Árabe como evento positivo, diz pesquisa

Enquete da BBC em 22 países mostra que apenas os russos desaprovam as revoluções

BBC Brasil, BBC

15 de dezembro de 2011 | 06h42

A Primavera Árabe conta com o apoio da maioria dos entrevistados da pesquisa feita pela BBC em 22 países do mundo. Entre os brasileiros, 54% veem as revoltas como um fator positivo. Apenas os russos reprovam, em sua maioria, os protestos que derrubaram regimes autoritários no norte da África e no Oriente Médio.

 

Veja também:

especialMAPA: A revolta que abalou o Oriente Médio

O continente onde os entrevistados se mostraram mais simpáticos às revoltas que levaram à queda dos governos da Tunísia, Egito, Líbia e Iêmen é a Europa. Na Alemanha, 78% dos entrevistados se disseram a favor (apenas 14% viram como algo negativo). Na França o apoio foi de 76% e na Espanha 70%.

No Egito, um dos epicentros do movimento, que resultou no fim do regime de três décadas do ex-presidente Hosni Mubarak (agora sob julgamento), a Primavera Árabe foi classificada como muito positiva por 72% dos entrevistados.

Já em Gana, país africano tradicionalmente caracterizado como exemplo de governança, o apoio às revoltas resumiu-se a 48% dos entrevistados (37% veem como algo negativo).

Pouco apoio

Para Doug Miller, diretor do instituto GlobeScann que coordenou a pesquisa, "o apoio à Primavera Árabe é generalizado, mas cauteloso".

"Os resultados sugerem que, fora das democracias estáveis da Europa e da América do Norte, preocupações sobre eventual instabilidade pós-revolução impacta a visão positiva, sobretudo na Rússia, no Paquistão e na Índia, três países particularmente sensíveis ao perigo de levante interno".

O menor apoio à Primavera Árabe se dá justamente na Rússia, onde 43% dos entrevistados veem o movimento como negativo, enquanto 31% têm visão positiva.

No Paquistão, são 40% a favor e 35% contrários. Na Índia, 41% e 30%, respectivamente.

Na China, país que vive sob regime autoritário, 50% dos entrevistados se mostraram simpáticos à revolta e 27% as apontaram como fator negativo.

América Latina

O país com o menor percentual de entrevistados que se disseram contrários à revolta é o Chile, com 12% de desaprovação, apenas.

Já no Equador, 42% dos entrevistados veem a Primavera Árabe de maneira negativa (47%, positiva). No Peru a aprovação também é relativamente baixa - 40% veem o movimento com bons olhos.

A pesquisa foi feita logo após a morte do líder líbio Muamar Khadafi. Foram ouvidas 21.558 pessoas em 22 países de quatro continentes.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.