Maioria dos detidos após 11 de setembro foi deportada ou solta

A ampla maioria das mais de 900 pessoas que o governo dos EUA reconhece ter detido após os ataques terroristas de 11 de setembro foi deportada, solta ou condenada por crimes menores, sem relação com o terrorismo, mostram documentos oficiais. Um número não revelado - não mais do que dúzias - está ou foi detido porque tem ou pode ter conhecimento ou conexão com o terror.Atendendo a um pedido da Associated Press, o Departamento de Justiça forneceu o mais completo detalhamento das pessoas presas na seqüência imediata dos ataques. Apenas seis das 765 pessoas detidas por violações das lei de imigração ainda estão sob custódia do Serviço de Naturalização e Imigração. Os demais foram deportados ou estão livres, aguardando uma decisão final sobre sua permanência no país.Outras 134 pessoas foram acusadas de crimes, com 99 sendo declaradas culpadas, por meio de apelações ou julgamentos. Muitos dos crimes não têm qualquer relação com atos terroristas. O Departamento de Justiça argumenta que acusações de menor importância costumam ser usadas para tirar pessoas perigosas de circulação, antes de atos de maior relevância possam ser cometidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.