EFE
EFE

Maioria dos grupos opositores sírios aceita trégua de duas semanas

Em comunicado, aliança que reúne cerca de 100 grupos rebeldes afirma que ataques da Rússia precisam ser interrompidos e regime de Assad precisa cumprir condições do acordo 

O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2016 | 12h13

RIAD - Cerca de 100 facções rebeldes aceitaram respeitar o acordo russo-americano de cessar-fogo por duas semanas na Síria, anunciou nesta sexta-feira, 26, o Alto Comitê de Negociação (HCN), que reúne os grupos-chave da oposição síria, a poucas horas da entrada em vigor da trégua.

"As facções do Exército Sírio Livre e da oposição armada estão de acordo em respeitar a trégua que vai durar duas semanas", indicou o HCN em um comunicado enviado à AFP. O HCN diz ainda que uma comissão militar presidida por seu coordenador-geral, Riad Hijab, foi formada para acompanhar a aplicação da trégua.

Segundo o HCN, 97 facções do Exército Sírio Livre e da oposição armada aceitaram a trégua, que entra em vigor à meia-noite desta sexta (21h em Brasília). Em comunicado, foi ressaltada "a necessidade de que se cumpram as observações apresentadas pela Comissão às Nações Unidas sobre o projeto de trégua" para que a suspensão das hostilidades durante duas semanas tenha sucesso. As condições da oposição são, entre outras, que Rússia e Irã, aliados do regime de Bashar Assad, sejam obrigados a suspender suas operações na Síria.

O HCN insistiu em sua nota em seu compromisso com "a via da solução política", que garante a formação de um governo transitório sem Assad, de acordo com o comunicado de Genebra de 2012 e com as resoluções do Conselho de Segurança 2118 e 2254.

Os grupos-chave da oposição também lembraram seu pedido para que o regime não utilize a trégua para continuar suas hostilidades contra as facções opositoras utilizando a luta antiterrorista como pretexto. Do cessar-fogo, estipulado por Estados Unidos e Rússia e aceito também pelo governo de Damasco, estão excluídos os grupos terroristas Estado Islâmico (EI) e Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda. EFE

Os grupos armados, tanto leais ao governo como à oposição, tinham até hoje às 12h (7h em Brasília) para comunicar a aceitação da trégua. /AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.