Maioria dos israelenses exige renúncia do premier Olmert

De acordo com o jornal "Yedioth Ahronoth", 63% dos entrevistados pelo instituto Dachaf exigem a renúncia de Ehud Olmert, líder do Partido Kadima, que está há menos de cinco meses no poder. Os resultados da pesquisa mostram um ambiente de crise apesar do amplo apoio popular à ofensiva contra o Hezbollah. A maioria dos israelenses (74%) deseja a saída de Peretz, líder do Partido Trabalhista, associado ao Kadima na coalizão de governo, e 54% acham que Halutz, ex-chefe da Força Aérea, também deverenunciar a suas funções. Se Olmert e seu partido tivessem que enfrentar a oposição, liderada pelo ex-primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e seu partido, o Likud, perderiam as eleições por ampla margem. A enquete indica que o conflito com o Hezbollah, que terminou no dia 14 com um cessar-fogo, por intervenção do Conselho de Segurança da ONU,favoreceu aos partidos da direita nacionalista. O Kadima, que conseguiu 29 cadeiras nas eleições de março, elegeria hoje 17 dos 120 membros do Parlamento (Knesset). O Likud passaria de 12 para 20. Só 24% dos israelenses votariam em Olmert, contra 45% dos votos em Netanyahu, segundo a pesquisa, que ouviu 499 pessoas e cujamargem de erro é de 4,5% . Para 63%, o general Halutz não atuou bem durante os 33 dias de combates com a milícia libanesa. Milhares de reservistas e civis, vítimas dos ataques do Hezbollah, exigem uma investigação judicial que pode comprometer todo o governo. Olmert, enfrentando crescentes protestos populares, promete anunciar uma investigação no próximo domingo, quando começa a semanade trabalho em Israel, após a reunião semanal do Conselho de Ministros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.