REUTERS/Carlos Barria
REUTERS/Carlos Barria

Maioria dos venezuelanos rejeita planos para nova Constituição

Segundo pesquisa da Datanalisis, 85% dos entrevistados creem que não há necessidade de mudanças na atual Carta

Reuters

10 de junho de 2017 | 15h58

CARACAS - O plano do presidente Nicolás Maduro de reescrever a Constituição enfrenta a oposição de 85% dos venezuelanos, de acordo com pesquisa realizada pela empresa Datanalisis, à medida que aumentam as manifestações por eleições presidenciais.

Na pesquisa, realizada entre 29 de maio e 4 de junho, 85% dos participantes concordaram com a afirmação de que "não há necessidade de mudança na Constituição vigente. O que o governo deveria fazer é cumpri-la".

Maduro, de 54 anos, convocou eleição para escolher, em 30 de julho,  os parlamentares que trabalharão na nova Carta, chamando-a de uma forma de restaurar a paz após mais de dois meses de agitação antigoverno que matou 67 pessoas.

No entanto, os partidos opositores dizem que não participarão das eleições, o que poderia dissolver o atual Parlamento dominado pela oposição.

A proposta também sofreu rara crítica da própria bancada do governo. De acordo com a oposição, a votação seria uma farsa projetada exclusivamente para manter Maduro no poder e com regras desviadas em favor do governo. Os opositores querem antecipar a próxima eleição presidencial, prevista para o final de 2018.

A pesquisa foi divulgada pelo site prodavinci.com, onde diversos artigos antigoverno foram postados e endossados pelo presidente da Datanalisis, Luis Vicente León, que tem sido forte crítico do presidente Maduro. / REUTERS

 

Tudo o que sabemos sobre:
CARACASNicolás MaduroCarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.