Maioria reprova ação dos EUA no Iraque, diz pesquisa mundial

Três pessoas em cada quatro desaprovam a forma como o governo norte-americano conduz a sua política para o Iraque, revelou um levantamento feito em 25 países pelo Serviço Mundial da BBC.De acordo com a pesquisa, 73% dos entrevistados condenaram a política americana no Iraque. Para 68%, a ação americana no Oriente Médio provoca mais violência na região. Já 17% disseram que as tropas americanas são forças estabilizadoras.?A decisão recente do governo dos Estados Unidos de enviar mais tropas ao Iraque está em desacordo com a opinião pública global, que pensa que a presença militar nos Estados Unidos na região provoca mais conflitos do que previne?, diz Doug Miller, presidente da GlobalScan, empresa que realizou a pesquisa, junto com o Program on International Policy Attitudes (PIPA), da Univesidade de Maryland.?Essa política possivelmente vai prejudicar ainda mais a imagem da América.??Nada certo?Nos 18 países em que a pesquisa foi feita no ano passado, houve uma redução na quantidade de entrevistados que vêem um impacto positivo dos Estados Unidos no mundo - de 36% para 29%.O estudo também revelou a reprovação da ação americana em alguns dos principais assuntos de política externa da atualidade: guerra do Iraque (reprovação de 73%), prisões em Guantánamo (67%), conflito entre Israel e o Hezbollah (65%), programa nuclear iraniano (60%), aquecimento global (56%) e programa nuclear norte-coreano (54%).?De acordo com a opinião pública mundial, os Estados Unidos parecem não conseguir fazer nada certo ultimamente?, afirma o diretor do PIPA, Steven Krull.Em 18 países, a maioria achou que os Estados Unidos têm influência negativa no mundo. Em cinco deles (Quênia, Nigéria, Filipinas, Polônia e nos próprios Estados Unidos), a maioria vê com bons olhos a ação americana. Em dois países (Hungria e Índia), o tema foi tão polêmico que não houve uma maioria expressiva.Em todos os países latino-americanos, houve rejeição da maioria dos entrevistados à influência americana no mundo: Argentina (64% vêem os Estados Unidos de forma negativa), Brasil (57%), México (53%) e Chile (51%).Mesmo nos Estados Unidos, houve queda na percepção positiva do país em relação ao mundo. Dos entrevistados americanos, 57% disseram que a influência é positiva, percentual inferior aos 63% do ano passado e aos 71% de dois anos atrás.Foram ouvidas 26.381 pessoas na Alemanha, Argentina, Austrália, Brasil, Chile, China, Coréia do Sul, Egito, Emirados Árabes, Estados Unidos, Filipinas, França, Grã-Bretanha, Hungria, Índia, Indonésia, Itália, Líbano, Quênia, México, Nigéria, Polônia, Portugal, Rússia e Turquia.As entrevistas foram realizadas entre os dias 3 de novembro de 2006 e 9 de janeiro deste ano. A margem de erro do levantamento varia de 2,5 a 4 pontos percentuais, dependendo do país pesquisado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.