Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Mais 2 mil se inscrevem no Uruguai para comprar maconha

Em uma semana, aumento de interessados na erva legalizada teve aumento de 48%

O Estado de S.Paulo

26 Julho 2017 | 22h55

MONTEVIDÉU - O número de inscritos para comprar maconha legal no Uruguai aumentou 48% em uma semana, de acordo com dados do governo divulgados nesta quarta-feira.

O total de pessoas inscritas no registro oficial, que permite o acesso a 40 gramas da erva por mês para fins recreativos, subiu de 4.959 para 7.343 desde que a maconha começou a ser vendida nas farmácias do país, na semana passada. 

As 16 farmácias que se registraram para vender a droga produzida por duas empresas privadas sob o controle do Estado tiveram de repor o estoque de maconha legal várias vezes desde o dia 19, quando a erva começou a ser vendida para uso recreativo. A maconha legalizada uruguaia tem um teor mais baixo de THC do que a vendida pelos traficantes. 

Somente quem tiver se cadastrado pode comprar – tanto cidadãos uruguaios quanto estrangeiros, desde que residam legalmente no país. O registro pode ser feito em agências dos correios.

Segundo o Instituto de Regulação e Controle de Cannabis (Ircca), também surgiram mais farmácias interessadas em vender a droga para uso recreativo. Inicialmente, muitas rejeitaram, alegando questões de segurança e o escasso lucro com a venda. / AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.