Mais 2 soldados dos EUA mortos; Ong deixa o Iraque

Outros dois soldados americanos morreram nesta quarta-feira em ataques separados no Iraque, enquanto a agência humanitária Oxfam anunciou que retirou seu pessoal do país árabe por falta de segurança. Os militares informaram ainda sobre a morte de um terceiro soldado em um incidente não-hostil.O gerente de programas da Oxfam, Simon Springett, falando da Jordânia com a Associated Press, disse que ?o nível de risco é inaceitável para nós, torna-se impossível desenvolver nossos programas?. Em um dos incidentes em território iraquiano, um soldado morreu esta manhã e três ficaram feridos em um ataque nas margens de uma estrada em Faluja, a cerca de 50 km a oeste de Bagdá. As fontes militares não deram detalhes sobre o ataque.Também não foram fornecidos detalhes sobre a morte de um segundo soldado em um ataque contra um comboio de veículos militares esta manhã em Bagdá. Com as novas baixas, subiu para 143 o número de soldados americanos mortos desde 1º de maio - cinco a mais do que durante o período dos principais combates da guerra. Apesar do aumento no número de mortos, o presidente George W. Bush disse que os EUA prosseguirão em sua ofensiva. Falando para verteranos de guerra em Saint Louis, no estado de Missouri, na terça-feira à noite, Bush disse que a guerra no Iraque ?é um teste na luta contra o terror? e que os EUA não voltarão atrás em seu combate aos extremistas islâmicos. Ainda nesta quarta-feira começou o julgamento militar de quatro soldados dos EUA acusados de abuso contra prisioneiros de guerra no sul do Iraque. A audiência se realizou no acampamento de Bucca, perto da cidade portuária de Umm Qasr.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.