Mais 3 americanos mortos no Iraque. Baixas chegam a 500

Três soldados americanos e dois policiais da Defesa Civil iraquiana morreram hoje em um novo ataque de insurgentes ao norte de Bagdá, elevando para 500 o número de militares dos EUA mortos no Iraque desde o início da guerra, em março passado.Segundo um porta-voz militar americano, coronel Bill McDonald, outros dois soldados dos EUA ficaram feridos no ataque, que ocorreu de madrugada na área de Tayi. A bomba explodiu durante a passagem de um veículo de combate Bradley por uma estrada a cerca de 25 quilômetros ao norte da capital iraquiana. Após o ataque, as tropas americanas detiveram três supostos rebeldes iraquianos. Em seu automóvel, os soldados dos EUA encontraram material que é usado para a fabricação de bombas.Ainda hoje, um soldado dos EUA morreu de ferimento de bala num incidente não hostil ao sul de Bagdá, informou o Comando Central americano. Não foram fornecidos detalhes do incidente.Dos 500 militares americanos mortos no Iraque, 346 foram vítimas de ações hostis, a maioria depois que o presidente George W. Bush anunciou o fim dos grandes combates em 1º de maio. O marco pode fazer com que o público americano volte a questionar a política de Bush para o Iraque no momento em que a campanha presidencial começa a tomar fôlego nos EUA, segundo analistas."Acho que ele é simbólico, que talvez muitas pessoas que não vinham prestando atenção nas últimas semanas vão dizer, ´Eu achava que estávamos em melhor situação´, e ´O que está acontecendo lá?´", afirmou Lawrence J. Korb, vice-presidente do Conselho de Relações Exteriores e subsecretário de Defesa no governo Reagan.Iraquianos mortosSegundo o Exército americano, dois insurgentes iraquianos também morreram e outros seis foram capturados durante um ataque contra um posto de fronteira no oeste do Iraque. Em um comunicado, o Exército informou que vários iraquianos armados atacaram na noite de quinta-feira o posto na Província de Al-Anbar, na fronteira com a Síria e a Jordânia, provocando a resposta das tropas da coalizão.Em Hilla, sul de Bagdá, guerrilheiros atacaram a sede regional da Autoridade Provisória de Coalizão no Iraque, matando um iraquiano e ferindo gravemente outros dois.Em Nayaf, sul da capital, quatro disparos de morteiro atingiram a base das forças de Honduras na noite de sexta-feira, sem causar vítimas. Também na sexta-feira, as tropas dos EUA desativaram uma bomba composta por quatro ogijas de mísseis terra-ar e 20 quilos de explosivos perto de Faluja, oeste de Bagdá.Uma delegação de especialistas da ONU deve viajar em breve ao Iraque para analisar se é possível organizar uma votação direta a fim de eleger uma assembléia transitória, como tem exigido o aiatolá Ali al-Husseini al-Sistani, o mais influente clérigo da comunidade xiita (60% da população do país), informou um funcionário da organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.