Mais 3 são presos após morte de soldado em Londres

A polícia britânica que está investigando o assassinato de um soldado em Londres prendeu mais três suspeitos no fim deste sábado. A Scotland Yard informou que autoridades de combate ao terrorismo detiveram dois homens, com 24 e 28 anos, em um endereço residencial no sul de Londres, e outro homem, de 21 anos, em uma rua da cidade. Eles foram presos sob acusação de conspiração para cometer assassinato.

Agência Estado

25 Maio 2013 | 18h17

Outros quatro homens supostamente ligados à morte do soldado Lee Rigby, na última quarta-feira, já haviam sido presos anteriormente. Na manhã deste sábado, 25, a polícia informou que havia detido e interrogado um amigo de Michael Adebolajo, um extremista islâmico suspeito de ter esfaqueado Rigby.

Abu Nusaybah, amigo do suspeito, foi preso imediatamente depois de conceder uma entrevista à rede BBC de televisão na sexta-feira, na qual descreveu como Adebolajo pode ter se radicalizado no Quênia e alegou que o serviço de segurança britânico tentou recrutá-lo seis meses atrás. A polícia informou que Nusaybah foi capturado por suspeita de envolvimento em atos de terrorismo não especificados.

Nusaybah contou que Adebolajo mudou depois de ter sido preso e abusado psicológica e sexualmente enquanto estava detido. "Embora a mudança não necessariamente tenha sido evidente, agressiva ou algo assim, ele se tornou (...) menos comunicativo", disse Nusaybah na entrevista.

O amigo de Adebolajo afirmou que agentes especiais do serviço de espionagem britânico MI5 abordaram o suposto criminoso depois de ele voltar ao Reino Unido e inicialmente perguntaram se ele havia se encontrado com militantes muçulmanos. Depois, teriam perguntado a Adebolajo se ele estaria disposto a atuar como informante. "Ele foi explícito em se negar a trabalhar para eles", contou Nusaybah. A rede BBC informou que a polícia prendeu Nusaybah fora de seus estúdios.

Adebolajo, de 28 anos, e Michael Adebowale, de 22, são suspeitos de matar o soldado Lee Rigby na quarta-feira. A cena foi filmada por aparelhos celulares e imagens mostram um deles fazendo um discurso político depois do ataque. A polícia atirou nos dois homens ao chegar ao local minutos depois do crime. Ambos estão detidos em dois hospitais de Londres.

O ataque espalhou receios de que surgissem sentimentos antimuçulmanos no Reino Unido e neste sábado a polícia prendeu três pessoas por suspeita de postarem comentários racistas na rede social Twitter. Um protesto que reuniu cerca de 1,5 mil pessoas em Newcastle foi um exemplo desse sentimento, mas, segundo informações da polícia, a manifestação foi pacífica.

Na França, um crime muito semelhante foi registrado neste sábado. Um soldado francês foi esfaqueado na garganta em um distrito comercial nos arredores de Paris e o governo informou que está tentando determinar se existem ligações entre esse crime e o assassinato do soldado britânico. A vítima francesa não corre risco de morrer. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Londressoldadosprisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.