Mais de 100 mil trabalhadores protestam na Bélgica

A polícia belga usou canhões de água e gás lacrimogêneo contra manifestantes em uma manifestação em Bruxelas contra os planos de austeridade definidos pelo novo governo do país.

Estadão Conteúdo

06 Novembro 2014 | 17h05

De acordo com o FGTB, um dos maiores sindicatos da Bélgica, 120 mil manifestantes participaram da marcha em Bruxelas. "Os empregadores receberam um cheque em branco do governo, sem garantia de criação de empregos", afirmou a FGTB em um comunicado em seu site. "A mensagem é clara: não a um plano de governo anti-social, desequilibrado e injusto, que vai nos roubar."

Sessenta pessoas ficaram feridas e 24 foram levadas ao hospital, de acordo com a porta-voz da Cruz Vermelha belga, Nancy Ferroni.

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, e seu gabinete devem se reunir com os líderes dos protestos até o fim do dia.

Uma coalizão de quatro partidos de direito que assumiu o poder no início deste mês e anunciou planos de aumentar a idade de aposentadoria para 67 em 2013, assim como o adiamento do próximo aumento salarial, sob o sistema do país de indexação, que vincula os aumentos salariais à inflação.

A manifestação marca o início de uma série de greves planejadas no país, que devem culminar em uma greve geral em 15 de dezembro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Bélgicaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.