AFP PHOTO / SANA
AFP PHOTO / SANA

Mais de 120 pessoas morrem em ataques terroristas do Estado Islâmico na Síria

Uma das explosões aconteceu perto de um hospital e de um ponto de ônibus. Grupo jihadista disse que alvo eram membros da minoria alauíta, seita do presidente sírio Bashar Assad

O Estado de S. Paulo

23 Maio 2016 | 09h10

DAMASCO - Mais de 120 pessoas morreram e centenas ficaram feridas nesta segunda-feira, 23, após explosões nas cidades de Jableh e Tartus, no litoral mediterrâneo sírio, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

O Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados e disse que o alvo eram membros da minoria alauíta, seita do presidente sírio Bashar Assad.

Pelo menos 73 pessoas morreram em quatro explosões em Jableh, localizada na província litorânea de Latakia, enquanto 48 não sobreviveram a três explosões em Tartus, capital da província homônima, perto da costa mediterrânea.

A televisão estatal síria informou que foram registradas quatro explosões em uma estação de ônibus e nas proximidades de um hospital em Jableh.

A emissora acrescentou que, em Tartus, um carro bomba explodiu na entrada de outra estação de ônibus e, pouco depois, dois suicidas detonaram os artefatos que levavam junto a seus corpos no interior do local.

Tanto em Latakia como na Província de Tartus vive grande parte da minoria alauíta, e são dois dos principais redutos do governo de Damasco.

Os conflitos têm se tornado mais frequentes em diversas regiões da Síria nas últimas semanas, enquanto grandes potências mundiais tentam restabelecer o cessar-fogo e reiniciar as negociações de paz, que fracassaram em Genebra neste ano. /EFE, Reuters e Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.