Mais de 140 iraquianos já fugiram da província de Anbar

Mais de 140 mil iraquianos fugiram de partes da província de Anbar nas últimas semanas por causa dos confrontos entre o exército e milicianos ligados à rede extremista Al-Qaeda, informa o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Trata-se do mais grave deslocamento de população civil observado nos últimos anos no Iraque, declarou Peter Kessler, porta-voz do Acnur.

AE, Agência Estado

24 de janeiro de 2014 | 13h45

Desde o fim de dezembro, integrantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante controlam partes de Ramadi, a capital da província de Anbar. Eles também controlam o centro de Faluja. O Estado Islâmico do Iraque e do Levante é o braço da rede extremista Al-Qaeda na região.

Mais de 65 mil civis fugiram de Anbar somente na semana passada, destacou Kessler. Segundo ele, este é o maior deslocamento de civis no Iraque desde o período de violência sectária ocorrido entre 2006 e 2008. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.