Mais de 15 mil desabrigados por inundações na Romênia

Mais de 15 mil romenos de 148 localidades foram evacuados no sul do país durante a última semana por causa das maiores inundações causadas pelo rio Danúbio desde 1985, informou o Ministério de Administração do Interior nesta quarta-feira. Cerca cinco mil pessoas tiveram que sair de suas localidades por causa do contínuo transbordamento do Danúbio, após o rompimento dos diques de contenção. A ministra do Meio Ambiente romena, Sulfina Barbu, calculou nesta quarta-feira que, até o momento, os danos materiais superam os 150 milhões de euros. A grande maioria dos desabrigados vem do distrito de Dolj (10.099 pessoas), seguido por Calarasi (4.172 pessoas), e Constanza (374 pessoas), informou o Ministério do Interior romeno, depois de informar que mais de 9.600 pessoas saíram de casa. Os desabrigados foram para casa de parentes, escolas, instituições de saúde e tendas de campanha construídas pelas autoridades. Das quase mil casas inundadas, 230 foram totalmente destruídas e 130 delas podem desmoronar a qualquer momento. Cerca de 4 mil construções próximas às localidades atingidas estão embaixo d´água ou destruídas. O balanço provisório oficial mostra que 5,6 quilômetros das estradas nacionais estão alagados, enquanto outros 500 quilômetros de estradas regionais e locais foram inundados. Cerca de 150 pontes estão destruídas, enquanto milhares de poços de água foram inutilizados. As forças de intervenção do Ministério do Interior são formadas por mais de 3.800 pessoas, além dos 3.400 militares, bombeiros e funcionários do Comissariado para Situações de Emergência. As autoridades do Ministério do Interior disponibilizaram quase 700 veículos, caminhões, barcos a motor, tratores, helicópteros para salvar a população e aliviar os efeitos das inundações. O Governo decidiu nesta quarta-feira destinar 11 milhões de euros para garantir as condições mínimas de sobrevivência dos desabrigados. Especialistas do Ministério da Agricultura romeno advertem que as inundações afetarão o preço dos alimentos, já que 60 mil hectares de plantações foram inundados, e o mesmo pode acontecer com outros 73 mil hectares. A cheia do Danúbio, que afetou primeiro a Europa Central e Sérvia e Montenegro, atualmente assola a Romênia, país onde o volume máximo de 15.800 metros cúbicos de água por segundo, registrado na quinta-feira passada, igualou o máximo registrado em 1895.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.