Mais de 1.700 são presos após protestos na Turquia

O ministro do Interior da Turquia, Muammer Guler, disse neste domingo (02) que mais de 1.700 pessoas foram presas em protestos anti-governo que se espalharam por 67 cidades do país.

Agência Estado

02 de junho de 2013 | 13h56

Segundo ele, a maioria já foi libertada. "A grande maioria dos detidos foi liberada após ser interrogada e identificada", disse, segundo a agência de notícias estatal Anatólia. Ele acrescentou que o país teve 235 manifestações desde terça-feira.

A agência de notícias privada Dogan informou neste domingo que centenas de manifestantes permanecem acampados na praça principal de Istambul, conhecida como Taksim, que foi palco do maior protesto anti-governo dos últimos anos.

Turcos urbanos e seculares reagiram com indignação na última sexta-feira após a polícia desfazer violentamente um protesto pacífico contra planos de expansão da praça Taksim. O projeto inclui a construção de um shopping center e a reconstrução de um antigo quartel do exército otomano. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Turquiaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.