AFP PHOTO/JURE MAKOVEC
AFP PHOTO/JURE MAKOVEC

Mais de 2 mil refugiados entraram a pé na Croácia através da fronteira com a Sérvia

Após o fechamento da passagem fronteiriça mais próxima, a situação em Opatovac, onde há um centro de recepção, ficou caótica

O Estado de S. Paulo

22 Setembro 2015 | 08h40

ZAGREB - Entre 2 mil e 3 mil refugiados entraram na Croácia na madrugada desta terça-feira, 22, pela Sérvia, após caminhar por um trecho de 20 quilômetros entre Bapska e Sarengrad, na fronteira, até o centro de recepção de Opatovac, no extremo leste do país, segundo a televisão pública HTV.

Essa nova chegada de imigrantes, em razão do fechamento da passagem fronteiriça mais próxima, criou uma situação caótica em Opatovac, segundo a emissora.

A televisão N1 informou que a tensão e o nervosismo têm aumentado porque os refugiados, que chegaram muito cansados e com muito frio, fazem fila em frente ao centro para ser registrados e receber ajuda humanitária e alojamento.

Segundo o Ministério do Interior croata, há uma semana entraram no país pouco mais de 30 mil refugiados, enquanto outros 27 mil já saíram de novo da Croácia.

Desde sexta-feira, a maioria dos imigrantes é transportada desde a fronteira com a Sérvia até a fronteira com a Hungria, enquanto poucos tratam de sair pela Eslovênia.

Em razão de uma oscilação constante, no campo de Opatovac há cerca de 2,5 mil refugiados, enquanto os demais centros de recepção em outras partes do país estão vazios.

Retaliação. A Sérvia ameaçou retaliar depois que a Croácia interrompeu todo o tráfego de mercadorias vindas do território sérvio.

Mais de 30 mil imigrantes, muitos refugiados da Síria, entraram na Croácia pela Sérvia desde terça-feira da semana passada, quando a Hungria barrou a entrada deles à União Europeia pela fronteira sul com a Sérvia ao instalar uma cerca de metal.

O governo sérvio pediu uma sessão de emergência para a tarde desta terça-feira para discutir as possíveis contra-medidas. “Não há uma explicação racional e lógica para parar o fluxo de mercadorias e o tráfego de cargas em uma das principais vias”, disse o ministro de Justiça da Sérvia Nikola Selakovic.

O premiê sérvio Aleksandar Vucic disse na segunda-feira que, se a Croácia não cancelar o bloqueio, “em razão das violações dos numerosos acordos bilaterais e internacionais", eles serão "forçados a proteger o país por meios legais”. /EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.