Ministério das Situações Emergenciais da Ucrânia/via AP
Ministério das Situações Emergenciais da Ucrânia/via AP

Mais de 20 mil são retirados de casa após incêndio na Ucrânia

Autoridades dizem que incêndio foi ato de sabotagem; região é próxima a local de conflito com separatistas

O Estado de S.Paulo

23 de março de 2017 | 07h02

Cerca de 20 mil moradores tiveram de deixar suas casas na cidade de Balakliia, no leste da Ucrânia, devido a um incêndio de grandes proporções em uma unidade militar. O fogo consome um depósito de arsenal de armas e munições, conforme as autoridades locais. Não há registros de vítimas.

O procurador-militar da Ucrânia, Anatolii Matios, afirmou que as chamas foram provocadas por um ato de sabotagem. Explosões foram ouvidas antes de o fogo se alastrar pelo local. O arsenal conta com armas de alto calibre e é um dos maiores da Ucrânia.

A cidade tem menos de 30 mil moradores e fica próxima a Carcóvia, na fronteira com a Rússia. Próximo dali, nas regiões de Donetsk e Luhansk, tropas ucranianas vêm combatendo grupos separatistas liderados por russos. O conflito já provocou a morte de mais de 9,8 mil pessoas desde abril de 2014.

O primeiro-ministro da Ucrânia, Volodymyr Groysman, viaja à região para monitorar o combate ao incêndio e as investigações. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.