Mais de 200 nigerianos monitorados por risco de ebola

Profissionais de saúde estão monitorando mais de 200 pessoas na cidade de Porto de Harcourt, no sul da Nigéria que podem ter sido expostas ao ebola depois de um homem infectar um médico que continuou a tratar pacientes antes de ser morto pela doença.

Estadão Conteúdo

04 de setembro de 2014 | 12h33

As autoridades nigerianas acreditavam que os casos de ebola no país estavam controlados, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que o médico infectado criou "múltiplas chances de alto risco de transmissão do vírus".

Nesta quinta-feira, alguns moradores do Porto de Harcourt acreditavam que todo o risco de contágio havia sido isolado, mas outros temiam que a doença se espalhasse.

O Ebola matou mais de 1.900 pessoas na África Ocidental. Um viajante da Libéria trouxe a doença para a Nigéria e uma pessoa que ele infectou espalhou o vírus no Porto de Harcourt. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.